Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Há uma empresa do Nasdaq que valorizou mais de 4.000% este ano
08-08-2020 15:00

Enquanto o mundo está do avesso, com uma pandemia a precipitar a maior contração económica da história em todo o mundo, nos mercados bolsistas a situação parece ser menos gritante. Exemplo disso é o índice de tecnologia norte-americano, o Nasdaq Composite, que só este ano já valorizou mais de 22%, com as empresas do setor a beneficiarem da corrida à vacina anti covid-19 e do confinamento global a que este vírus obrigou. 

No meio de todas as valorizações do índice de referência nos Estados Unidos para o setor da tecnologia, destaca-se uma: a Novavax.

A empresa de biotecnologia é uma das candidatas a vencer a corrida alucinante pela vacina que combata o SARS-Cov-2 e, por isso, os seus acionistas mais antigos têm esfregado as mãos este ano. É que cada título da empresa valia 4 dólares em dezembro do ano passado. Agora, vale cerca de 185 dólares. Significa isto que as ações da Novavax dispararam mais de 4.000% só este ano.

Ainda esta semana, a empresa anunciou que a Fase 1 de testes da sua vacina ainda experimental mostrou resultados favoráveis com a criação de anti-corpos ao vírus nos 131 voluntários. O seu presidente, Gregory Glenn, disse que eram "boas" e "encorajadoras" notícias. 

Mas no top-10 de empresas que mais subiram no ano da pandemia estão mais seis cotadas que valorizaram mais de 1.000% só este ano, com a lista a ser quase toda preenchida por empresas do mesmo setor. Isto acontece porque, como eram companhias com menos expressão bolsista, a margem de subida era substancialmente maior face às grandes empresas de tecnologia, por exemplo, cuja avaliação de mercado estava já em máximos.

A completar o pódio das dez melhores prestações do Nasdaq surge uma empresa de marketing digital, a Izea Worlwide, com um ganho de quase 700%. 


Energia fóssil e petroleiros vão ao fundo
Se a pandemia foi boa mãe para as empresas com ligação direta à tecnologia e ciência, foi também madrasta para as energias pouco amigas do ambiente.

Exemplo disso é a Castor Maritime, empresa especialista em transporte de hidrocarbonetos, como o petróleo bruto, que viu as suas ações cair a pique durante este ano, graças à sua atividade quase nula no período de confinamento. Cada título vale menos quase 90% do que valia no final do ano passado. 

Nesta lista dos piores desempenhos do ano no Nasdaq Composite não faltam empresas rivais da Castor Maritime, ou similares. São elas a Top Ships (-87%), a Sundance Energy (-85%) ou a Seanergy Maritime Holdings (-82%).  


Gigantes cada vez mais gigantes 
Apesar das impressionantes subidas e quedas robustas mencionadas em cima, quem fez verdadeiramente mexer o Nasdaq Composite e levá-lo a máximos históricos sucessivos foram as gigantes da tecnologia bem conhecidas de todos nós. As cinco maiores empresas deste índice dos Estados Unidos valem, juntas, cerca de 6,8 biliões de dólares, o que corresponde a cerca de 68% de um índice que comporta quase 3.500 empresas.

A liderar a lista surge a Apple, que ultrapassou recentemente a Microsoft, enquanto cotada mais valiosa dos Estados Unidos, e a petrolífera Saudi Aramco, como empresa mais valiosa de todo o mundo. A empresa liderada por Tim Cook está avaliada em 1,88 biliões de dólares e só este ano valorizou quase 50%, com as vendas de iPhones a crescerem e a procura pelos seus produtos secundários a aumentar.

Mas a empresa que mais beneficiou com o confinamento em termos de capitalização bolsista foi a Amazon, com a retalhista norte-americana a disparar mais de 70% em bolsa e com o seu CEO, Jeff Bezos, a vincar a sua posição de homem mais rico do mundo, de acordo com o índice de multi milionários da Bloomberg, com uma fortuna a rondar os 190 mil milhões de dólares. 

Fora do top-5 das empresas mais valiosas destaca-se sobretudo a Tesla, que este ano leva uma valorização de mais de 250%.

Von der Leyen discute futuro da Europa com Marcelo e Costa antes do Conselho de Estado
25-09-2020 14:40

Portugal regista quarto dia com mais casos. São 899 novas infeções e cinco mortes por covid-19
25-09-2020 14:19

PS e PSD aprovam diminuição dos debates europeus na AR para dois por semestre
25-09-2020 14:00

PS aprova sozinho alteração ao diploma que prevê 7.500 assinaturas para petição ir a plenário
25-09-2020 13:59

Covid-19: Mais de metade dos municípios registou mais mortes no último mês
25-09-2020 13:12

Edifício Monumental no Saldanha acolhe BPI como novo inquilino
25-09-2020 12:58

CaetanoBus ganha duelo contra polaca em Barcelona e faz negócio de 6,5 milhões
25-09-2020 12:34

Preços dos combustíveis voltam a ficar inalterados na próxima semana
25-09-2020 12:33

CTT vão começar a entregar o cartão de cidadão em casa
25-09-2020 12:21

Covid-19: Restrições em Madrid alargam e já afetam mais de um milhão de pessoas
25-09-2020 11:57

Bruxelas recorre ao Tribunal de Justiça da UE contra decisão que anula multa à Apple
25-09-2020 11:50

Veolia não desiste e vai pagar mais à Engie para comprar a sua principal rival
25-09-2020 11:41

DECO PROTESTE e Continente juntam-se para a criação do Dia Nacional da Sustentabilidade
25-09-2020 11:16

As entrevistas a Abel Mateus e David Fonseca. O Montepio e as rendas
25-09-2020 10:33

Dívida do Reino Unido superou 100% do PIB
25-09-2020 10:24

Hábitos à força
25-09-2020 09:40

CP vai lançar concurso de mil milhões de euros para comprar 129 comboios
25-09-2020 08:43

Gestão de dados é elemento central na transformação digital
25-09-2020 08:28

BCP reforça mínimo histórico e deixa PSI-20 a perder
25-09-2020 08:20

"Vergonhoso": Líder norte-coreano pede desculpa por assassinato de oficial da Coreia do Sul
25-09-2020 07:48

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco