Este website utiliza cookies (identificadores de sessão) para ter uma melhor experiência de navegação, utilização e para personalizar o conteúdo e anúncios disponibilizados. Clique aqui para obter mais informação sobre a utilização dos cookies e alterar os parâmetros de gestão de cookies.

Cookies Essenciais

  • Essenciais

  • Analíticos

  • Funcionalidade

  • Remarketing

Cookies Essenciais

São necessárias para otimizar a navegação e aceder a certas áreas e funcionalidades do website (acesso a áreas seguras do website através de um início de sessão). Estes Cookies estão sempre ativados.

Estes Cookies estão sempre Activos

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Rússia disponível para conversações, mas quer regiões anexadas reconhecidas
02/12/2022 16:20

O Presidente russo, Vladimir Putin, estará disponível para conversações sobre a guerra iniciada há nove meses com a invasão da Ucrânia por Moscovo, mas não sem condições. A Rússia exige o reconhecimento de regiões anexadas como parte do seu território.

 

"O Presidente da Federação Russa tem sempre estado, está e permanece aberto a negociações de modo a garantir os nossos interesses", comunicou nesta sexta-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov (na foto), escreve a Reuters.

 

As declarações são feitas um dia depois de o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ter indicado que retomará o contacto com Vladimir Putin "se de facto houver interesse em que este decida que está à procura de uma forma de terminar a guerra", isto após uma reunião com o Presidente francês, Emmanuel Macron, em Washington. 

 

Os contactos diretos entre os presidentes russo e norte-americano encontram-se interrompidos desde a invasão da Ucrânia, a 24 de fevereiro.

 

A resposta russa às declarações de Joe Biden não surge no entanto sem exigências, com o porta-voz do Kremlin a afirmar que a recusa norte-americana em reconhecer território anexado na Ucrânia como russo prejudica que seja encontrada uma via para pôr fim à guerra.

 

Anteriormente, destaca a Reuters, as exigências de Moscovo incluíam garantias de segurança e a condição de um recuo no alargamento da NATO e leste.

 

No final de setembro, Putin declarou quatro regiões ucranianas como sendo parte da Rússia: Donetsk, Lugansk, Zaporíjia e Kherson Presentemente, a Rússia mantém a maior parte do território de Lugansk, estando travada em Donetsk e a sofrer revezes em Kherson e Zaporíjia, segundo descreve a BBC.

 

A Rússia assegura não estar disposta a aceitar uma exigência de retirada da Ucrânia.

TAP: PS esclarece que viabilizará proposta de inquérito do BE através da abstenção
01/02/2023 23:13

Meta dispara 18% com receitas acima do esperado
01/02/2023 21:37

Powell fala em "desinflação" e Wall Street brilha. Nasdaq pula 2%
01/02/2023 21:25

"Há mais subidas por vir", adverte Powell
01/02/2023 19:44

Comissão executiva do BPI passa para seis membros até 2025
01/02/2023 19:15

Novo Banco aprova nome da Lone Star para novo CFO
01/02/2023 19:04

Governo recusa tirar benefícios do SIFIDE aos fundos de investimento
01/02/2023 18:20

Marcelo envia para o Constitucional decreto sobre associações públicas profissionais
01/02/2023 17:53

Mercado automóvel dispara 43% em janeiro. Elétricos pesam mais de 15%
01/02/2023 17:28

PSI fecha em alta com ajuda do BCP e papeleiras
01/02/2023 16:56

Pau Palacios é o novo Diretor de Operações da Stuart Espanha e Portugal
01/02/2023 16:50

PS recua e permite que trabalhadores renunciem nalguns casos a créditos salariais
01/02/2023 16:42

TAP: "Queremos responsabilizar quem sabia e quem não sabia e tinha de saber", diz Bloco
01/02/2023 16:25

OPEP e aliados mantêm nível de produção de petróleo em 2023
01/02/2023 16:09

PCP contesta simplificação de baixas e provoca novo atraso em toda a lei laboral
01/02/2023 15:58

Espanhola Demium entra nas lisboetas Liisa e Viveel. Soma 20 startups em Portugal
01/02/2023 15:53

Reino Unido dá primeiro passo para regulação das criptomoedas
01/02/2023 15:50

Angola importou mais 40% de alimentos no valor de mais de dois mil milhões de dólares em 2022
01/02/2023 15:24

Concluída venda da operação da Vodafone na Hungria. Estado fica com 49%
01/02/2023 15:07

EDP instala 100 mil painéis solares domésticos na Península Ibérica em 2022
01/02/2023 14:36

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco