Este website utiliza cookies (identificadores de sessão) para ter uma melhor experiência de navegação, utilização e para personalizar o conteúdo e anúncios disponibilizados. Clique aqui para obter mais informação sobre a utilização dos cookies e alterar os parâmetros de gestão de cookies.

Cookies Essenciais

  • Essenciais

  • Analíticos

  • Funcionalidade

  • Remarketing

Cookies Essenciais

São necessárias para otimizar a navegação e aceder a certas áreas e funcionalidades do website (acesso a áreas seguras do website através de um início de sessão). Estes Cookies estão sempre ativados.

Estes Cookies estão sempre Activos

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Presidente francês pede reforço de moderação de conteúdos no Twitter
03/12/2022 10:47

O presidente de França disse ter mantido "uma conversa clara e sincera" com o novo proprietário do Twitter, Elon Musk, para insistir que a rede social deve melhorar a transparência e "reforçar a moderação de conteúdos".

 

Numa série de mensagens escritas no Twitter, Emmanuel Macron disse também ter discutido, em Nova Orleães, na sexta-feira, com o fundador da empresa Tesla "futuros projetos industriais verdes, tais como a produção de veículos elétricos e baterias", sem avançar pormenores.

 

"Estou a falar disto aqui no Twitter, porque é disso que se trata. Esta tarde encontrei-me com Elon Musk e tivemos uma conversa clara e sincera", escreveu Emmanuel Macron, em francês e inglês.

 

A reunião, de uma hora, não foi previamente anunciada pelo Eliseu, e decorreu sem a presença dos meios de comunicação social.

 

"Elon Musk confirmou a participação do Twitter no Apelo Christchurch. O conteúdo terrorista e violento não tem lugar em lado nenhum", acrescentou Macron, referindo-se a uma iniciativa lançada, em 2019, por vários Estados e organizações não-governamentais, na sequência do massacre de Christchurch na Nova Zelândia, cujas imagens continuaram acessíveis 'online', durante várias horas.

 

Musk, que além da Tesla é também dono do SpaceX [viagens espaciais], comprou o Twitter, em outubro, por 44 mil milhões de dólares (41,7 mil milhões de euros).

 

Mas a visão de Musk, que defendeu uma liberdade de expressão absoluta na rede social, está a causar preocupação entre muitos utilizadores, autoridades e anunciantes, por temerem um aumento de mensagens de de ódio e desinformação.

 

No início, o empresário prometeu um conselho de moderação de conteúdos responsável por todas as grandes decisões, mas posteriormente decidiu restabelecer várias contas, a começar pela do ex-Presidente dos Estados Unidos Donald Trump, banido da rede social depois do assalto ao Capitólio, em janeiro de 2021.

 

Musk pôs também fim à luta contra a falsa informação ligada à covid-19, o que é um "grande problema", de acordo com Emmanuel Macron.

 

"Penso que temos de encarar o assunto de frente, sou a favor exatamente do oposto, mais regulamentação. Estamos a fazê-lo [em França] e estamos a fazê-lo a nível europeu", disse Macron, na quinta-feira, numa entrevista ao canal ABC.

 

O chefe de Estado francês insistiu que a liberdade de expressão "implica responsabilidades e limites. Não se pode sair e fazer comentários racistas ou antissemitas".

 

Depois de adquirir o Twitter, Musk despediu mais de metade dos trabalhadores do grupo californiano, sem poupar as equipas de moderação de conteúdos.

 

Recentemente, esclareceu os seus limites pessoais sobre a liberdade de expressão numa série de 'tweets'.

 

Na sexta-feira, a conta do 'rapper' norte-americano Kanye West no Twitter foi suspensa por "incitar à violência", depois de ter afirmado que admirava Hitler.

 

Elon Musk também disse que não ia permitir o regresso à rede social do teórico da conspiração da extrema-direita norte-americana Alex Jones, que foi condenado por afirmar que um massacre escolar foi encenado por elementos do movimento de oposição às armas de fogo.

 

Depois da morte do primeiro filho, Musk explicou que seria "impiedoso para quem usasse a morte de crianças para obter ganhos financeiros, políticos ou fama".

 

Emmanuel Macron concluiu a série de 'tweets' com esta declaração: "Vamos trabalhar com o Twitter para melhorar a proteção das crianças online. Elon Musk confirmou-me isto hoje [sexta-feira]. Vamos fazer um melhor trabalho de proteção dos nossos filhos online".

 

O presidente francês publicou ainda uma fotografia dos dois homens, no Museu de Arte de Nova Orleães, onde mais tarde fez um discurso sobre a francofonia no final de uma visita de Estado de três dias aos EUA.

TAP: PS esclarece que viabilizará proposta de inquérito do BE através da abstenção
01/02/2023 23:13

Meta dispara 18% com receitas acima do esperado
01/02/2023 21:37

Powell fala em "desinflação" e Wall Street brilha. Nasdaq pula 2%
01/02/2023 21:25

"Há mais subidas por vir", adverte Powell
01/02/2023 19:44

Comissão executiva do BPI passa para seis membros até 2025
01/02/2023 19:15

Novo Banco aprova nome da Lone Star para novo CFO
01/02/2023 19:04

Governo recusa tirar benefícios do SIFIDE aos fundos de investimento
01/02/2023 18:20

Marcelo envia para o Constitucional decreto sobre associações públicas profissionais
01/02/2023 17:53

Mercado automóvel dispara 43% em janeiro. Elétricos pesam mais de 15%
01/02/2023 17:28

PSI fecha em alta com ajuda do BCP e papeleiras
01/02/2023 16:56

Pau Palacios é o novo Diretor de Operações da Stuart Espanha e Portugal
01/02/2023 16:50

PS recua e permite que trabalhadores renunciem nalguns casos a créditos salariais
01/02/2023 16:42

TAP: "Queremos responsabilizar quem sabia e quem não sabia e tinha de saber", diz Bloco
01/02/2023 16:25

OPEP e aliados mantêm nível de produção de petróleo em 2023
01/02/2023 16:09

PCP contesta simplificação de baixas e provoca novo atraso em toda a lei laboral
01/02/2023 15:58

Espanhola Demium entra nas lisboetas Liisa e Viveel. Soma 20 startups em Portugal
01/02/2023 15:53

Reino Unido dá primeiro passo para regulação das criptomoedas
01/02/2023 15:50

Angola importou mais 40% de alimentos no valor de mais de dois mil milhões de dólares em 2022
01/02/2023 15:24

Concluída venda da operação da Vodafone na Hungria. Estado fica com 49%
01/02/2023 15:07

EDP instala 100 mil painéis solares domésticos na Península Ibérica em 2022
01/02/2023 14:36

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco