Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Dia de trabalho na pandemia é 48 minutos mais longo, diz estudo
08/08/2020 12:00

Ficamos ligados durante mais horas. Participamos em mais reuniões com mais pessoas. E enviamos mais e-mails.

De Nova Iorque a Tel Aviv, a revolução do teletrabalho resultou em muito mais trabalho, segundo um estudo com 3,1 milhões de pessoas em mais de 21 mil empresas em 16 cidades da América do Norte, Europa e Médio Oriente.

Os investigadores compararam o comportamento dos trabalhadores durante dois períodos de oito semanas antes e depois das quarentenas da covid-19. Analisando e-mails e metadados de reuniões, o grupo calculou que a jornada de trabalho foi 48,5 minutos mais longa, o número de reuniões aumentou em cerca de 13% e as pessoas enviaram uma média de 1,4 e-mails a mais por dia aos colegas.

Em algumas cidades, como Los Angeles e Chicago, a duração média dos dias de trabalho voltou aos níveis pré-pandemia. Mas dias mais longos persistiram na cidade de Nova Iorque, San José e na maior parte da Europa até maio.

"As pessoas ajustaram os seus padrões de trabalho", disse Jeff Polzer, professor do departamento de comportamento organizacional da Harvard Business School, um dos cinco coautores do estudo.

Durante o período de dois meses, houve uma parte do trabalho que melhorou: essas reuniões extra foram mais curtas, de acordo com a análise da Harvard Business School e da Universidade de Nova Iorque. O estudo foi publicado pelo Gabinete Nacional de Relações Económicas em julho.

As empresas avaliam o impacto do teletrabalho na produtividade, moral, cultura, custos e outros fatores para determinar como podem modificar as suas práticas daqui para frente. Outras análises sobre dados de redes virtuais privadas, ou VPNs na sigla em inglês, revelaram que as pessoas trabalhavam três horas a mais nos EUA e estavam ligadas em horários atípicos. As pessoas que falaram com a Bloomberg News atribuíram os seus horários agitados às necessidades de cuidados dos filhos, o que eliminou as fronteiras entre trabalho e casa, e ao stress da recessão.

O grupo da Harvard e NYU afirma que a pesquisa representa um dos maiores estudos até ao momento e incluiu dados de 16 áreas metropolitanas.

Polzer, de Harvard, diz que são necessárias mais investigações para verificar se os hábitos mudaram permanentemente, mas não espera que o comportamento retorne aos níveis pré-pandemia em breve. "Não é como se voltássemos aos tempos normais", afirmou.

PS e PSD aprovam diminuição dos debates europeus na AR para dois por semestre
25/09/2020 14:00

PS aprova sozinho alteração ao diploma que prevê 7.500 assinaturas para petição ir a plenário
25/09/2020 13:59

Covid-19: Mais de metade dos municípios registou mais mortes no último mês
25/09/2020 13:12

Edifício Monumental no Saldanha acolhe BPI como novo inquilino
25/09/2020 12:58

CaetanoBus ganha duelo contra polaca em Barcelona e faz negócio de 6,5 milhões
25/09/2020 12:34

Preços dos combustíveis voltam a ficar inalterados na próxima semana
25/09/2020 12:33

CTT vão começar a entregar o cartão de cidadão em casa
25/09/2020 12:21

Covid-19: Restrições em Madrid alargam e já afetam mais de um milhão de pessoas
25/09/2020 11:57

Bruxelas recorre ao Tribunal de Justiça da UE contra decisão que anula multa à Apple
25/09/2020 11:50

Veolia não desiste e vai pagar mais à Engie para comprar a sua principal rival
25/09/2020 11:41

DECO PROTESTE e Continente juntam-se para a criação do Dia Nacional da Sustentabilidade
25/09/2020 11:16

As entrevistas a Abel Mateus e David Fonseca. O Montepio e as rendas
25/09/2020 10:33

Dívida do Reino Unido superou 100% do PIB
25/09/2020 10:24

Hábitos à força
25/09/2020 09:40

CP vai lançar concurso de mil milhões de euros para comprar 129 comboios
25/09/2020 08:43

Gestão de dados é elemento central na transformação digital
25/09/2020 08:28

BCP reforça mínimo histórico e deixa PSI-20 a perder
25/09/2020 08:20

"Vergonhoso": Líder norte-coreano pede desculpa por assassinato de oficial da Coreia do Sul
25/09/2020 07:48

Associação automóvel quer redução do ISV e registo profissional dos revendedores
25/09/2020 07:45

5 coisas que precisa de saber para começar o dia
25/09/2020 07:30

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco