ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Turistas de Portugal e mais 97 países deixam de precisar de visto para entrar em Angola
02/10/2023 15:46

Portugal, Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos, Rússia e China estão entre os 98 países a que Angola deixou de exigir visto de turismo para estadias anuais inferiores a 90 dias por ano.

Segundo um decreto presidencial publicado esta segunda-feira em Diário da República, os cidadãos provenientes destes países passam a estar isentos de visto de turismo por um período de até 30 dias por entrada e 90 dias por ano.

Terão de cumprir as "formalidades aplicáveis nos postos de fronteira", que não são detalhadas no diploma, apresentar passaporte com validade superior ao período de estadia e certificado internacional de vacina sempre que justifique.

Entre os 14 países africanos com isenção de visto de turismo estão Cabo Verde, Marrocos, Guiné Equatorial, Botsuana e Ruanda, enquanto nos 11 asiáticos da lista constam a China e o Japão, Israel, Emirados Árabes Unidos, Qatar, Arábia Saudita, Índia, Singapura, Coreia do Sul e Timor-Leste.

A lista europeia contempla 35 países, incluindo todos os que integram União Europeia, a Rússia, a Noruega e a Turquia.

Estados Unidos, Canada, Brasil, Argentina e México fazem parte dos países americanos isentos.

O diploma aplica-se também a 14 países da Oceânia, incluindo Austrália e Nova Zelândia e 16 pequenos estados e ilhas da região Caraíbas e Pacífico.

O decreto presidencial contempla também procedimentos de simplificação ara a concessão de vistos de turismo para cidadãos provenientes de países que não fazem parte desta lista, orientando as missões diplomáticas e consulares para adotarem um "atendimento simplificado e desburocratizado" que garanta a concessão de vistos de turismo num prazo inferior a três dias úteis.

Os requerentes deverão apresentar passaporte com validade superior a seis meses, bilhete de passagem de ida e volta e certificado internacional de vacina sempre que se justifique.

Galp em "discussões preliminares" com potenciais parceiros no petróleo da Namíbia
22/07/2024 12:40

Galp vende operação na Guiné-Bissau à Zener por 31 milhões de euros e sai do país
22/07/2024 12:15

China avalia se prolonga taxas punitivas sobre alguns produtos siderúrgicos da UE
22/07/2024 12:12

Grupo Vodafone vende mais 10% da Vantage Towers por 1,3 mil milhões de euros
22/07/2024 11:38

Não perca o programa do Negócios no Now, canal 9
22/07/2024 11:14

Desemprego registado cai pelo quinto mês, mas fica 10% acima do que em maio de 2023
22/07/2024 10:41

Lucro da Ryanair desce 46% para 360 milhões até junho
22/07/2024 10:32

CEO da Inapa apresenta demissão
22/07/2024 08:39

Lisboa acorda no verde. Pesos pesados negoceiam em alta
22/07/2024 08:15

5 coisas que precisa de saber para começar o dia
22/07/2024 07:30

Lucros da Galp sobem 23% na primeira metade do ano para 624 milhões
22/07/2024 07:26

A saída de Biden, o fim das portagens, as vendas dos shoppings
22/07/2024 07:01

Os três desafios para dar solidez ao pilar social da União Europeia
21/07/2024 22:37

Divergência entre Governo e PS nos impostos é "ultrapassável."
21/07/2024 21:40

Falta de 12 milhões na subsidiária alemã leva Inapa à insolvência "nos próximos dias"
21/07/2024 21:23

Biden desiste de se recandidatar à presidência dos EUA
21/07/2024 19:01

Orçamento: Paulo Raimundo diz querer "que se lixe a estabilidade"
21/07/2024 17:41

Embraer revela primeiro protótipo em escala real de táxi aéreo
21/07/2024 16:23

Um virar de página nos carros preferidos dos portugueses? Dacia e Tesla no topo
21/07/2024 16:00

Governo mais ambicioso nas renováveis: offshore, mais solar e menos hidrogénio
21/07/2024 15:30

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco