ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Marcelo admite intervenção no caso das gémeas mas nega favorecimento
04/12/2023 19:05

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu esta segunda-feira que recebeu um contacto por parte do filho, Nuno Rebelo de Sousa, sobre o caso das gémeas luso-brasileiras que foram tratadas no hospital Santa Maria. Defende, contudo, que não houve qualquer favorecimento da sua parte e que tem "todas as condições" para se manter no cargo. 

Em causa estão suspeitas de favorecimento no acesso a um tratamento de quatro milhões de euros, algo que o Presidente da República negou esta segunda-feira. Recorde-se que, na primeira reação, Marcelo Rebelo de Sousa, disse não se recordar sobre se falou ou não com o filho sobre o caso. Uma ideia que voltou a defender hoje, justificando só "ao procurar a documentação toda, encontrou este contacto inicial". 

"Apurou-se que no dia 21 de outubro de 2019, o Dr. Nuno Rebelo de Sousa, meu filho, me enviou um email em que dizia que um grupo de amigos da família das duas crianças gémeas se tinha reunido e estava a tentar que fossem tratadas em Portugal. Tinha contactado o hospital D. Estefânia, que tinha dito que o hospital adequado seria o Santa Maria. Tinham enviado a documentação e não tinham resposta. O Dr. Nuno dizia: 'é possível saber se há resposta?'. No mesmo dia, despachei para o chefe da Casa Civil: 'será que a Maria João Ruela, assessora, pode perceber do que se trata?'", começou por explicar o chefe de Estado, em declarações à imprensa. 


"Na sequência disso, o chefe da Casa Civil enviou para a Dra. Maria, que contactou o hospital Santa Maria e, no dia 23, respondeu a Nuno Rebelo: 'o processo foi recebido e estão a ser analisados vários casos do mesmo tipo. Sendo que a capacidade de resposta é muito limitada e depende de decisões médicas do hospital e do Infarmed'", continuou.

A partir daí, o filho de Marcelo Rebelo de Sousa terá novamente contactado o chefe da Casa Civil que, diz, lhe terá confirmado a informação passada: "A prioridade é dada aos casos tratados em hospitais portugueses, daí que não tenham sido contactado, nem é previsível que o sejam rapidamente. O SNS cobre em primeiro lugar as pessoas que residam ou se encontrem em Portugal". 

No dia 31, terá seguido uma carta do chefe da casa civil, "como enviava sempre", para o chefe do gabinete do primeiro-ministro e para o chefe do gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, sobre a matéria. "Termina aqui a intervenção da Presidência da República. Começa no dia 21 e termina no 31", assegurou Marcelo Rebelo de Sousa.

A informação, apurada pela Presidência da República a pedido do chefe de Estado, foi esta tarde enviada à Procuradoria Geral da República, que no final de novembro abriu uma investigação sobre o tema. 

Questionado sobre se continua de consciência tranquila e se tem condições para se manter no cargo, respondeu: "Certamente". 

"O que fica claro é que o Presidente da República, perante uma pretensão de um cidadão, dá o despacho mais neutral e igual a que deu em vários casos, e que não há uma intervenção do Presidente pelo facto de ser filho ou não", acrescentou.

Sobre o que se passou a seguir desde que o processo saiu de Belém, disse "não ter a mínima ideia". "Olhando para os factos, não há um que envolva o mínimo de favorecimento de quem quer que seja", vincou.

Questionado sobre que avaliação faz do envolvimento do filho e se tem conhecimento de que este tenha falado com alguém do Ministério da Saúde, Marcelo Rebelo de Sousa disse fazer a avaliação de que "quis ser solidário" e deixou um alerta: "Espero bem que não tenha falado. Espero que não tenha invocado o meu nome, se isso vier a comprovar-se, seria totalmente inaceitável".

Medina aplaude subida de "rating". "Todos ficam mais protegidos dos atuais juros altos"
01/03/2024 22:01

S&P 500 e Nasdaq marcam novos recordes com ajuda da inteligência artificial
01/03/2024 21:19

S&P sobe "rating" de Portugal para clube do A
01/03/2024 21:04

MH-1: Portugal regressa ao espaço na segunda-feira a partir da Califórnia
01/03/2024 19:29

Rui Alpalhão: ?Não percebo a ideia de se acabar com as recessões?
01/03/2024 18:00

Número de operações na Caixa Geral de Depósitos cresceu em dia de greve
01/03/2024 17:52

Sonae emite 400 milhões de dívida a quatro anos para financiar OPA sobre Musti
01/03/2024 17:41

A bolha e as sete magníficas
01/03/2024 17:30

Vendas de automóveis crescem 17,5% até fevereiro e já superam 2019
01/03/2024 17:01

Lisboa estreia março no verde com impulso das energéticas
01/03/2024 16:49

A economia reagiu sem recessões severas e graves
01/03/2024 16:30

Stilwell: OPA à EDP Brasil "aconteceu no momento certo". Vai render 120 milhões em 2024
01/03/2024 16:01

Bancos centrais com resultados negativos
01/03/2024 15:30

Gasóleo desce 1,5 cêntimos e gasolina sobe um cêntimo na próxima semana
01/03/2024 15:00

O papel da literacia financeira na vida
01/03/2024 14:30

A inovação no centro da transição para as energias renováveis
01/03/2024 14:00

PGR reitera evidência de um MP sob ataque e recusa continuar no cargo
01/03/2024 13:22

Quase 85% da Função Pública quer semana de quatro dias. Dirigentes discordam mais
01/03/2024 13:00

Só Itália e Espanha produzem mais tomates que Portugal na UE
01/03/2024 12:43

Guerra de números na greve da Caixa Geral de Depósitos
01/03/2024 11:58

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco