ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Google avança com novos despedimentos para reduzir custos
18-04-2024 12:42

O novo plano da Google para reduzir custos e investir mais na Inteligência Artificial vai incluir múltiplos despedimentos. O número e as equipas que vão sofrer uma redução de pessoal ainda não foram anunciadas oficialmente, mas, de acordo com a Business Insider, os "lay offs" vão ser feitos em grande escala e vão afetar principalmente as equipas do setor financeiro e do mercado imobiliário.

Já em janeiro a plataforma detida pela Alphabet tinha dispensado centenas de trabalhadores nas áreas de engenharia, assistência e hardware, de acordo com a Reuters. Um porta-voz da empresa afirmou à Business Insider que os trabalhadores dispensados na mais recente vaga de despedimentos vão poder candidatar-se a outros empregos na empresa, e um pequeno número de trabalhadores vai ser transferido para outras hubs internacionais, onde a Google pretende aumentar o investimento, como na Índia, na Irlanda e no México. A contrastar com esta decisão estão os lucros acima do esperado da empresa no último trimestre de 2023, quando a empresa faturou 86,31 mil milhões de dólares. 

"Através disto, nós estamos a simplificar as estruturas para dar aos nossos colaboradores mais oportunidades para trabalharem nas nossas áreas mais inovadores e importantes e nas prioridades da empresa, ao mesmo tempo que reduzimos burocracia", explicou um porta-voz da empresa à Business Insider. Só em 2023, a Google dispensou mais de 12 mil trabalhadores, segundo contas do New York Post.

28 despedidos após protestos contra projeto pró-Israel


O clima de tensão entre a Google e a sua força laboral tem-se agravado também por causa do Projeto Nimbus, uma colaboração de 1,2 mil milhões de euros com a Amazon que pretende fornecer o governo israelita com serviços de Inteligência Artificial e de "cloud". Em consequência a um protesto pró-palestiniano de 10 horas, organizado pela No Tech for Apartheid, que teve lugar nos escritórios da Google em Nova Iorque, Seattle e Sunnyvale, 28 trabalhadores foram despedidos e nove deles foram presos por invasão de propriedade privada.

"Após recusarem sair dos perímetros da empresa, as forças policias tiveram de remover os manifestantes para assegurar condições de segurança", disse um porta-voz da Google citado pela Bloomberg. Os protestos foram filmados por vários trabalhadores e transmitidos na plataforma de "streaming" Twitch. Um dos gabinetes ocupados foi o do CEO da Google Cloud Thomas Kurian, de acordo com informações obtidas pela The Verge.



A Google rejeita qualquer tipo de "comportamento disruptivo" na sua empresa e vai continuar a recorrer a despedimentos e outras formas de punição a trabalhadores que "estejam tentados a pensar que a companhia vai ignorar condutas que violam as suas políticas", afirmou o seu chefe de segurança, Chris Rackow. Em resposta aos despedimentos, a organizadora do protesto declara que, em três anos que se têm organizado contra o Projeto Nimbus, nunca conseguiram marcar uma reunião com um executivo da empresa. "Os trabalhadores da Google têm o direito de protestar pacificamente sobre os termos e condições do seu trabalho. Estes despedimentos são claramente retaliatórios", disse a organização à Medium.

Meta pondera participação na EssilorLuxottica. Dona da Ray-Ban dispara mais de 7%
18-07-2024 14:47

Lagarde diz de cortar ou não juros em setembro "está em aberto" e "dependente de dados"
18-07-2024 14:22

Von der Leyen reeleita presidente da Comissão Europeia
18-07-2024 13:27

Sem surpresas em Frankfurt. BCE mantém juros inalterados, depois do corte em junho
18-07-2024 13:16

Autoestradas do Douro Litoral vendida à Igneo
18-07-2024 13:12

Empresas têm de gerir melhor os riscos ESG
18-07-2024 12:41

Para onde vão os preços das casas em Portugal?
18-07-2024 12:00

CTT lançam subscrição online de certificados de aforro
18-07-2024 11:29

JPMorgan mais pessimista que o mercado. Fed e BCE só devem cortar três vezes juros em 12 meses
18-07-2024 10:59

Produção na construção cai 2,4% na Zona Euro em maio
18-07-2024 10:51

Reino Unido é o primeiro país europeu a aprovar carne cultivada em laboratório
18-07-2024 10:47

Von der Leyen: Respeito pelo Estado de Direito continuará a nortear fundos europeus
18-07-2024 10:09

Arvad, o refúgio perfeito com experiências únicas de enoturismo
18-07-2024 09:57

Jerónimo Martins e a DHL expandem parceria de cacifos de encomendas na Polónia
18-07-2024 09:49

Von der Leyen promete não aceitar polarização e destruição da UE por extremistas
18-07-2024 09:10

Lisboa acorda em alta com BCP na proa
18-07-2024 08:22

Portugueses viajam mais, a entrevista ao CEO da Sumol Compal e as contas da bolsa
18-07-2024 07:30

United Airlines aumenta lucros em 23% para 1,32 mil milhões de dólares
17-07-2024 23:55

Joe Biden cancela discurso de campanha após testar positivo à Covid-19
17-07-2024 23:39

Pedro Nuno Santos "otimista para as negociações" do OE2025 mas sem medo de eleições
17-07-2024 22:48

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco