ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Quase um quinto dos pensionistas da CGA reformaram-se após 2019
28/05/2024 23:30

Quase um quinto dos reformados da Caixa Geral de Aposentações (CGA) saiu para a reforma nos últimos cinco anos, traduzindo a aceleração nas aposentações dos trabalhadores do setor público. Em 2023, regista-se um forte impulso adicional nas saídas, que dispararam em 19% num ano de descida da idade de reforma, para os 66 anos e quatro meses.

 

De acordo com dados citados pelo Conselho das Finanças Públicas (CFP), na análise à evolução orçamental do ano passado publicada nesta terça-feira, o número de novas pensões de aposentação atribuídas pela CGA nos últimos cinco anos, de 2019 a 2023, ascendeu a 85.379, num forte reforço do número de reformados recentes deste regime. As aposentações iniciadas neste período correspondem a 17,5% do total de reformados da CGA - praticamente um quinto do total. Já em 2022, o peso de recém-reformados tinha subido, passando aos 15,7%.

 

A evolução traduz uma aceleração crescente nos novos aposentados da CGA que, no ano passado, aumentaram novamente em força, com 20.228 novas pensões de reforma e aposentação atribuídas, num crescimento de 19%.

 

Em detalhe, constata-se que as carreiras da educação e da saúde - com dificuldades de recrutamento e origem de fortes reivindicações por melhorias salariais e nas condições de trabalho nos últimos anos - são das que mais contribuem para os novos aposentados.

 

Segundo o CFP, 44,5% das novas pensões de reforma tiveram origem na administração central, sendo que, de entre estas, tiveram maior peso as saídas ocorridas sob tutela do Ministério da Educação (27,8%) e do Ministério da Saúde (16%). Assim, e atendendo às proporções divulgadas na análise, perto de um quinto das saídas para a reforma na CGA ao longo do ano passado terão tido origem nas carreiras da educação e da saúde.

Já o peso das aposentações entre beneficiários de pensões unificadas - que contribuíram para a CGA e regime da Segurança Social - diminuiu de 13,2% para 11,7% do total de novas pensões, detalha também o CFP. Terão, assim, sido atribuídas menos de 2.400 pensões unificadas

 

No ano passado, o valor médio das novas pensões de reforma atribuídas avançou 5,8%, em termos ponderados, para 1.628 euros. O aumento "deveu-se essencialmente às novas pensões atribuídas aos aposentados e reformados oriundos da administração central, cujo valor médio foi de 2.345,88 euros", indica o CFP. Observou-se uma subida de 6,6% face aos valores médios das novas prestações com origem na administração central atribuídas no ano anterior.

 

Com a evolução do último ano nas novas reformas, o universo total de aposentados da CGA atingiu um novo máximo, passando os 487.576. Já o subscritores do regime - fechado a novas entradas desde 2006 - diminuíram para 380.060, aprofundando-se mais uma vez, como esperado, o défice na relação entre contribuições e prestações a pagamento. O rácio entre ativos e inativos voltou a degradar-se, passando para 0,78 contribuintes por cada beneficiário na aposentação.

 

O desequilíbrio estrutural do sistema, recorde-se, é financiado por transferências orçamentais, que no ano passado superaram 5,7 mil milhões de euros, correspondendo a mais 663 milhões de euros.

 

Já as contribuições recebidas pela CGA totalizaram 4.051 milhões de euros, crescendo 1,1% face ao ano anterior, em resultado de vários efeitos extraordinários (a massa salarial sobre a qual incidiram os descontos avançou 2,2%, segundo o CFP).

 

Além destas receitas, a CGA recebeu mais 1.084 milhões em transferências do Orçamento e da Segurança Social para pagamento de pensões, e teve mais 145 milhões noutras receitas correntes.

 

Todos estes valores foram insuficientes para cobrir a despesa efetiva deste regime, que atingiu os 11.307 milhões de euros. Porém, a entrada de receita extraordinária de 3.018 milhões de euros com a integração do Fundo de Pensões da Caixa Geral de Depósitos no ano passado permitiu gerar um saldo positivo de 2.713 milhões de euros. Sem este fundos, que passam a constituir uma nova reserva especial para pagamento de pensões, haveria um défice de 305 milhões de euros.

FEFSS volta a receber parte de contribuições prevista na lei A Segurança Social retomou em 2023 a transferência de parte das contribuições recebidas, prevista na lei, para a reserva destinada a pagar futuras pensões em caso de défice no sistema previdencial, o Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS). Segundo o CFP, foram recebidos 1.500 milhões de euros, em linha com o limite mínimo da afetação prevista (2  a 4 pontos percentuais do valor de quotizações entregues pelos trabalhadores "até que aquele fundo assegure a cobertura das despesas previsíveis com pensões, por um período mínimo de dois anos"). O FEFSS recebeu ainda 2.434 milhões do saldo do sistema previdencial e 623 milhões em receitas fiscais consignadas, num total de 4.558 milhões em dotações.



Administrador da Nos vende 110 mil ações e encaixa 393,7 mil euros
22/07/2024 22:19

Warner Bros propõe-se igualar oferta da Amazon por direitos televisivos da NBA
22/07/2024 21:52

Greve na CP leva à supressão de 854 dos 1.054 comboios programados até às 19:00
22/07/2024 21:37

"Caçacores de pechinchas" dão fôlego a Wall Street
22/07/2024 21:26

Montenegro promete "tudo fazer" para tentar construir dobro das casas previsto no PRR
22/07/2024 20:51

BCP terá de cumprir requisitos de capital e passivos elegíveis de 28,67%
22/07/2024 19:13

Warren Buffet reduz posição na chinesa BYD para menos de 5%
22/07/2024 18:38

Governo quer refinaria de lítio "o mais rápido possível", mas admite rever áreas que vão a concurso
22/07/2024 17:55

Lucro da Navigator cresce 16% para 159 milhões até junho
22/07/2024 17:25

Angola registou quatro tentativas de furto de petroleiros nos últimos dois anos
22/07/2024 17:14

Eólicas no mar: Ministra diz que Portugal pode avançar com "dois projetos de 1 GW" até 2030
22/07/2024 16:53

Lisboa acompanha ganhos europeus e fecha em máximos de mês e meio
22/07/2024 16:49

Além do financiamento de 12 milhões, Inapa já tinha pedido outros 15, diz Governo
22/07/2024 16:07

Presidente executivo da IAG garante que grupo continua na corrida pela TAP
22/07/2024 14:01

Inapa: Ministro da Economia diz que é preciso "proteger dinheiro dos contribuintes"
22/07/2024 13:33

Galp em "discussões preliminares" com potenciais parceiros no petróleo da Namíbia
22/07/2024 12:40

Galp vende operação na Guiné-Bissau à Zener por 31 milhões de euros e sai do país
22/07/2024 12:15

China avalia se prolonga taxas punitivas sobre alguns produtos siderúrgicos da UE
22/07/2024 12:12

Grupo Vodafone vende mais 10% da Vantage Towers por 1,3 mil milhões de euros
22/07/2024 11:38

Não perca o programa do Negócios no Now, canal 9
22/07/2024 11:14

Ajuda

Pesquisa de títulos

Fale Connosco