Este website utiliza cookies para ter uma melhor experiência de navegação e utilização.
Ao navegar está a consentir a utilização dos cookies associados ao site.

ÚLTIMAS NO NEGÓCIOS.PT

Montepio: Economia acelera no segundo trimestre
23/05/2016 15:08

O produto interno bruto (PIB) de Portugal deverá crescer entre 0,5% e 0,7% no segundo trimestre, o que traduz uma aceleração face aos três meses anteriores e coloca fim a um período de abrandamento.
 
A estimativa é do Departamento de Estudos do Montepio, que estima que a economia portuguesa, no segundo trimestre, tenha sido "suportada tanto pela procura interna, como pelas exportações líquidas, com as exportações a deverem corrigir do efeito ‘refinaria de Sines’".
 
A confirmar-se esta previsão, que o banco calcula através do seu indicador compósito para o PIB, a economia portuguesa terá recuperado da forte travagem verificada nos três primeiros meses do ano. No primeiro trimestre o PIB de Portugal cresceu apenas 0,1% e a taxa de crescimento homóloga foi inferior à verificada nos dois trimestres anteriores.
 
No relatório semanal onde revela esta estimativa para o PIB no segundo trimestre, o Montepio salienta que a sua previsão é bem mais optimista do que a sugerida pelo indicador de actividade económica do Banco de Portugal, referente a Abril.
 
Na semana passada o banco central revelou que indicador coincidente mensal para a actividade económica recuou em Abril pelo quinto mês consecutivo, atingindo o valor mais baixo desde Dezembro de 2014. 
 
Segundo o Montepio, este indicador do Banco de Portugal "encontra-se em níveis consistentes com um decréscimo, em cadeia, do PIB, de 0,3%, no segundo trimestre, resultado aquém da nossa actual previsão".
 
No que diz respeito ao outro indicador de actividade reportado em Portugal (do INE, referente a Março), aponta para um crescimento do PIB de 0,4% no primeiro trimestre, bem acima dos 0,1% anunciados na primeira estimativa do INE.
 
No relatório publicado esta segunda-feira, 23 de Maio, o Montepio assinala que "as exportações terão observado uma forte queda no primeiro trimestre, vendo-se penalizadas designadamente pela descida das exportações para Angola e China, mas também pelas greves dos trabalhadores da refinaria de Sines realizadas ao longo do trimestre, que terão tido um impacto superior ao por nós inicialmente antecipado e cujo efeito negativo provocado poderá ser revertido no decurso deste trimestre".

Trump: "As pessoas andam a puxar o autoclismo 15 vezes em vez de uma"
07/12/2019 18:38

Engie reforça em Portugal com aquisição da Ikaros Hemera
07/12/2019 11:57

TAP anda pode entrar em bolsa no final de 2020
07/12/2019 11:20

Centeno com apoios para um segundo mandato à frente do Eurogrupo
07/12/2019 11:09

Estado emprestou dois milhões à Cruz Vermelha para pagar salários
07/12/2019 11:03

Investidores aplaudem dados do emprego nos EUA e catapultam Wall Street
06/12/2019 21:05

JOM mobila Cães de Pedra para atacar no estrangeiro
06/12/2019 18:27

SPD dá nova chance a Merkel e troca exigências por "melhorias"
06/12/2019 17:51

Seguradora Fidelidade começa a operar no Chile
06/12/2019 17:28

David Rosas constrói Casa milionária para a filigrana no Porto
06/12/2019 15:59

Conselheiro de Trump diz que acordo comercial está "perto", mas corre o risco de romper
06/12/2019 15:59

Mercado laboral sólido anima Wall Street
06/12/2019 14:45

EUA criam 266 mil empregos, mais 80 mil do que o esperado
06/12/2019 13:58

Saudi Aramco começa a negociar em bolsa dia 11 de dezembro
06/12/2019 13:44

Leiloeira declara guerra a gestor de insolvência da dona do BES na falência da Prado
06/12/2019 13:16

Portugal em risco de ficar fora do Fundo de Transição Justa da UE
06/12/2019 12:41

Produção industrial alemã teve a maior queda da década em outubro
06/12/2019 12:12

TAP tem novembro com o maior número de passageiros de sempre
06/12/2019 12:12

Crédito Agrícola aumenta lucros para 105 milhões até setembro
06/12/2019 11:49

Preço dos combustíveis vai descer para mínimos de três meses
06/12/2019 11:49

login

Pesquisa de títulos

Fale Connosco